.
.

Acessibilidade

Aumentar Fonte
.
Diminuir Fonte
.
Fonte Normal
.
Alto Contraste
.
Libras
.
Vlibras

O conteúdo desse portal pode ser acessível em Libras usando o VLibras

Mapa do Site
.
Acesso à informação
.

De segunda a sexta das 7h30 às 17h

Idioma

Português

English

Español

Francese

Deutsch

Italiano

Saúde - Sexta-feira, 24 de Maio de 2024

Buscar Notícia

Notícias por Categoria

Tupã confirma 2º caso de Chikungunya

Chikungunya pode causar doença aguda, subaguda e crônica; mosquito adquire o vírus ao picar pessoa infectada


Tupã confirma 2º caso de Chikungunya

O segundo caso autóctone (transmissão dentro da cidade) de Febre Chikungunya neste ano, em Tupã, foi confirmado na tarde desta quarta-feira (22/05) pela Secretaria Municipal da Saúde.

 

A doença infecciosa febril é transmitida pelos mosquitos Aedes albopictus e Aedes aegypti, responsável também pela transmissão de dengue no Brasil. O termo Chikungunya significa “aqueles que se dobram” em swahili, um dos idiomas da Tanzânia e refere-se à aparência curvada dos pacientes atendidos na primeira epidemia documentada no país, localizado no leste da África.

 

O segundo caso da doença em Tupã em 2024 foi confirmado em um homem de 43 anos, residente no Centro. Ela iniciou os sintomas no dia 12 de maio, fez exame para dengue e deu negativo. Realizou exame e confirmou positivo para Chikungunya em convênio particular. Tupã tem dois suspeitos da doença, ambos da Zona Sul, que estão em análise para Chikungunya no Instituto Adolpho Lutz. Em 2017 a cidade teve um caso confirmado, em 2018 três casos e em 2019 um caso.

 

Chikungunya

 

O vírus é transmitido pela picada da fêmea de mosquitos infectados. São eles o Aedes aegypti, de presença essencialmente urbana, em áreas tropicais e, no Brasil, associado à transmissão da dengue; e o Aedes albopictus, presente majoritariamente em áreas rurais, também existente no Brasil e que pode ser encontrado em áreas urbanas em menor densidade.

 

O mosquito adquire o vírus ao picar uma pessoa infectada, durante o período de viremia, ou seja, um dia antes do aparecimento da febre até o quinto dia de doença, quando a pessoa ainda tem o vírus na corrente sanguínea.

 

Após um período de incubação médio de dez dias, o mosquito torna-se capaz de transmitir o vírus a um humano. Após a picada de um mosquito infectado, os sintomas da doença tipicamente aparecem após um período de incubação intrínseco médio de 3 a 7 dias (intervalo 12 dias). A maioria dos indivíduos apresenta doença sintomática após um período de incubação. Porém, nem todos os indivíduos infectados com o vírus desenvolvem sintomas.

 

A Chikungunya pode causar doença aguda, subaguda e crônica. A fase aguda é mais comumente caracterizada por febre de início súbito (tipicamente maior que 39°C) e dor articular intensa. Entre outros sinais e sintomas podem incluir cefaleia, dor difusa nas costas, mialgia, náusea, vômito, poliartrite, erupção cutânea e conjuntivite. A fase aguda da Febre Chikungunya dura de 3 a 10 dias.

 

Na fase subaguda e crônica, a maioria dos pacientes, após os primeiros dez dias, podem sentir uma melhora na saúde geral e na dor articular. Porém, após este período, uma recaída dos sinais pode ocorrer com alguns pacientes reclamando de vários sintomas reumáticos, incluindo fortes dores nas articulações, ossos, nos punhos e tornozelos. 

 

Os sintomas são muito comuns entre dois e três meses após o início da doença. Em alguns casos também podem ser registrados distúrbios vasculares periféricos, como a síndrome de Raynaud. Além dos sintomas físicos, podem aparecer sintomas depressivos, cansaço geral e fraqueza.

184 Visualizações

Notícias relacionadas

Voltar para a listagem de notícias

.
.

Calendário de eventos

.
.

Acompanhe-nos

.

Unidades Fiscais

.
ONIBUS - 2023

R$ 2,00

.
UFM - 2024

R$ 108,54

.
.

Prefeitura da Estância Turística de Tupã - SP.
Usamos cookies para melhorar a sua navegação. Ao continuar você concorda com nossa Política de Cookies e Políticas de Privacidade.